Europa Junho/2014 – Roteiro

Débora & Magno
0
out. 5/14

Europa 2014 – 06-25 de Junho – Roteiro
Junho é um dos melhores períodos para conhecer a Europa pois o tempo está relativamente quente e as atrações turísticas estão bombando por ser alta temporada(a ressalva é que os preços estarão mais altos). Após muita pesquisa, o roteiro escolhido foi: Londres(Inglaterra) -> Paris(França) -> Bruxelas(Bélgica) -> Amsterdam(Holanda) -> Frankfurt(Alemanha), nesta ordem devido a proximidade entre as cidades. Terminar em Frankfurt foi estratégico, pois como é um dos maiores aeroportos da Europa e recebe vôos do mundo inteiro, o custo das passagens ficaram menores pela TAM(como o preço depende de diversas variáveis, sempre checar antes). O detalhe da Inglaterra é que o visto é feito na chegada, logo só precisa de passaporte, assim como os outros países da União Européia. Em nosso caso a atendente na imigração foi muito simpática, e estávamos bem preparados(graças a Débora), com todas as passagens e hotéis que iríamos visitar impressas e separadas por destino(fomos elogiados por isso), assim como tendo a moeda local dos lugares que iríamos visitar(o que não foi pedido).
Passagens compradas, hora de decidir como se deslocar entre as cidades. Em geral existem 2 possibilidades: Avião e Trem. Nesta época a diferença de preços entre estas opções não estava tão gritante, escolhemos então viajar de trem entre todas as cidades, por acabar sendo mais rápido e prático(não precisa chegar com uma hora de antecedência), além de ter um limite de peso maior para as malas: 2x32Kg/pessoa versus 1x23Kg/pessoa. Outro detalhe, pode comprar comida e bebida(inclusive alcoólicas) a vontade para consumo no trem, basta que a mesma esteja embalada.
Apenas uma ressalva, eles não atrasam. Então chegar com 30 minutos ou pelo menos 15 minutos de antecedência, pois todas as vezes – no horário marcado – as entradas já estavam fechadas e os trens saíram em ponto.
No caso do destino Londres -> Paris tem mais outro detalhe, é importante chegar com pelo menos 30 minutos de antecedência, pois a imigração francesa fica em Londres(e vice-versa). Então a sua mala irá passar pelo raio-x, esse processo pode demorar um pouco, porém em nosso caso, tudo foi muito rápido. Isto acontece, para que no desembarque eles não precisem fazer a imigração de todo mundo, o que levaria a filas enormes, e caso tivesse algum problema, teria que mandar a pessoa de volta, realmente muito mais inteligente. E uma vez na Europa, a circulação entre os países que compõe do acordo de Schengen é livre. Sempre é bom checar a moeda corrente de cada país, e se o mesmo faz parte do Acordo de Schengen.
Para verificar quais empresas atuam em cada país, visitar o site da RailEurope, colocar data/partida/destino e aparecerão as empresas que atendem ao critério pesquisado. Existe a opção de comprar um pacote de viagens pela RailEurope, dependendo dos países que irão visitar pode valer a pena. Como nosso tempo estava contado pelo número de cidades que iríamos visitar, preferimos comprar diretamente nas empresas para evitar surpresas com horários esgotados, locais indisponíveis para a data desejada, etc, visto que só dá para verificar a disponibilidade dos trens após comprar o pacote da RailEurope. Além disto, a mesma não trabalha com a Eurostar de Londres.

As empresas escolhidas foram:
Eurostar (2h16): London St Pancras Int’l 10th June -> Paris Gare Du Nord
Thalys (1h22): PARIS NORD 15th June -> BRUXELLES MIDI
Thalys (1h50): BRUXELLES MIDI 18th June -> AMSTERDAM CENTRAA
Bahn (4h00): Amsterdam C. 22nd June -> Frankfurt(Main)

Dica: Ficar atento se o destino é direto ou se tem troca de trens. No caso da Bahn tinham opções bem mais em conta mas implicavam em troca de trens e um tempo bem maior para chegar no destino. Preferimos pagar mais caro, e pegar apenas destinos diretos, pois a cada destino a mala fica mais e mais pesada, e a movimentação delas vai ficando cada vez mais massante.

Além destes, durante a viagem visitamos mais 2 lugares de trem: Paris -> Versailles via RER e Bruxelas -> Bruges via Thalys, ambos com uma hora de duração em média e destinos imperdíveis, em breve o post de cada lugar visitado

Com relação aos hotéis, os sites Hoteis.com e Booking.com foram os mais em conta para as localidades Londres, Bruxelas e Frankfurt. Nos destinos Paris e Amsterdam, compramos pelo airbnb(apartamento inteiro). Com esta estratégia, ficamos bem localizados e conseguimos bons preços. A dica é sempre estar atento as avaliações e comentários sobre o hotel desejado. Com relação a localização, fique atento a metrô próximo e proximidade às atrações e em geral, centro da cidade.

Dica 2: Para correntistas com Itau Personnalité Platinum o Seguro viagem é free, desde que compre as passagens com itaucard
http://www.visa-platinum.com/br/beneficios/certificado-schengen_485.aspx

Fontes úteis:
http://drieverywhere.net/2010/10/13/eurostar-%E2%80%93-conectando-a-inglaterra-ao-continente-europeu/
http://drieverywhere.net/2011/10/23/t-v-everywhere-viajando-de-eurostar/

Be Sociable, Share!

Orlando – 2013

Débora & Magno
0
set. 22/14

14 de Abril de 2013 – Disney Magic Kingdom
Após a viagem de Miami -> Orlando de carro e uma boa noite de sono, chegou a hora de levar nossos pais a Disney! Apesar da maioria dos Hotéis disponibilizarem ônibus para translado aos parques, com um carro você tem toda liberdade de ir e vir a qualquer horário e poder desfrutar dos parques até o último instante.

Deixamos o carro no estacionamento, e logo pegamos o transporte até a entrada do parque efetivamente. Dos parques disponíveis na Disney, o escolhido foi o Magic Kingdom, por ser o mais tradicional e tranquilo de todos, perfeito para ir com nossos pais e pegamos o Monorail até a entrada. Tickets em mãos, é chegada a hora de voltar a ser criança e nos maravilharmos com as tão sonhadas atrações. Pegamos um trem que faz uma volta completa no parque para fazer um primeiro reconhecimento. Fomos ao castelo da Branca de Neve, e claro, tiramos milhares de fotos com o Mickey! Agora o que viesse era lucro e teve muita coisa!

Fomos nas montanhas russas diversas – em geral bem tranquilas para nossos pais nos acompanharem, casas mal assombradas, cinemas 4D, efeitos especiais diversos, FutureLand, nos molhamos, pegamos Navio, assistimos shows e o Disney Parade(tanto o da tarde quanto o da noite/Electric, se tiver que escolher, veja este) e por fim, o espetacular show de fogos no castelo da branca de neve, imperdível e inesquecível – dica: chegar cedo para pegar um bom lugar para assistir ao show. Depois deste espetáculo, que remete aos tempos de infância, foi hora de dizer adeus. Aproveitamos e trocamos o Monorail para voltar de Navio a Vapor, prolongando ainda mais o momento, vendo a terra encantada ir embora lentamente, mas permanecendo definitivamente em nossas memórias.

15 de Abril de 2013 – Downtown Disney

Nos planejamos para assistir uma peça no Cirque du Soleil que fica no Parque Downtown Disney. Só não contávamos que o mesmo não abre as segundas. Como já era tarde para ir a outro parque, decidimos fazer um reconhecimento do local, só não imaginávamos a quantidade de coisas disponíveis, uma agradável surpresa, e o melhor de tudo, entrada franca!

Pubs, lojas diversas, restaurantes temáticos, barcos restaurante, shows diversos ao ar livre, pista de dança com professores e bambolê, muita gente animada e divertida, alguns malucos dançaram na rua ao som de um senhor que mandava muito bem no Saxofone. Quando nos demos conta, as lojas já estavam fechando, já passavam das 22h… Cirque du Soleil, afinal de contas não fez tanta falta assim, fica para próxima ;-)

16 de Abril de 2013 – Universal Studios
Ao chegarmos na Universal, escolhemos o parque Universal Studios Florida padrão, era o que tinha as atrações mais tranquilas, muitos efeitos especiais e apenas uma montanha russa realmente possante logo na entrada e nesta nossos pais ficaram nos esperando, como estava sem filas, aproveitei para ir 3 vezes seguidas e sair super satisfeito, pura adrenalina!

Ao caminhar e ir entrando nos brinquedos, percebemos que havia peças na rua muito interessantes, e que estas atrações quase sempre coincidiam com o término de um brinquedo. Ficamos atentos a isso principalmente após um show de Blues muito bom do grupo The Blues Brothers – apreciando um chopp bem gelado do Pub Finnegan’s, e enquanto seguíamos uma rota pelo parque, as atrações iam acontecendo pela rua. Até show de mágica presenciamos!

Os simuladores da universal são o principal marco do parque, com seus cinemas 4D com direito a efeito olfativo, simuladores de furacão(filme twister), simulador de enchentes, revanche da múmia com efeitos de fogo e escaravelhos, minions, simpsons, etc, além de peças clássicas como ET e até o DeLorian do filme De Volta para o Futuro.

Chegada a noite, já próximos do final, o parque conta com uma bela projeção sobre as águas, com trechos de filmes, e muitos fogos e efeitos a laser, tudo sincronizado e muito bonito. E na saída, ainda tem os bares, danceterias, etc. Tivemos que fazer um pit-stop no Hard Rock Cafe, para garantir estar bem preparados para o dia seguinte :)

17 de Abril de 2013 – Sea World

E por último mas não menos importante, o Parque Sea World, é uma atração fantástica. Me surpreendeu em todos os sentidos. É impressionante o nível de treinamento que os animais possuem, são sem sombra de dúvida muito inteligentes. Aproveitamos para ir num mirante para ter a visão aérea completa do parque em todas as suas atrações. A dica é pegar o mapa e se inteirar sobre os horários das várias atrações disponíveis, principalmente da orca Shamu.

O show dos golfinhos é imperdível, a sincronia entre eles, a interação impecável com os treinadores realmente impressiona. Os aquários do parque são excelentes como esperado. O parque conta com outros tipos de show como peças teatrais semelhantes ao Cirque du Soleil, vale a pena conferir. A grande atração no entanto é o show da orca Shamu. Ela é ainda mais inteligente que os golfinhos, e com toda aquela massa corporal e força, consegue fazer acrobacias inacreditáveis e não perde a oportunidade de molhar o povo, logo, se não deseja tomar aquele banho, não se sente próximo ao palco/piscina. Nos programamos para assistir 2 vezes o show dos golfinhos e Shamu.

Passear neste parque e ver tanta vida marítima, dentre outras é realmente fascinante. Ao final da tarde, boa parte das atrações acaba, mas ainda tem as montanhas russas, e foi pra lá que fomos até o encerramento. Elas são bem mais fortes que as da disney por exemplo, vale a pena conferir se gostar.

E para fechar bem a noite, nada melhor que um pit-stop no outback, afinal de contas, precisávamos estar bem prepararmos para colocar o pé na estrada de volta a Miami de carro no dia seguinte, deixar o carro e fazer o check-in no aeroporto, tudo no horário certo. Foi uma grande correria contra o tempo, e no final deu tudo certo, foi uma viagem e tanto, recomendo o roteiro e ainda tem muitas outras atrações em Orlando que não fizemos pelo tempo apertado(sem contar claro, os custos), mas fica para uma próxima oportunidade!

Be Sociable, Share!