Jericoacoara

Débora & Magno
0
mai. 1/13

12 de Outubro de 2012 – Sexta
Falar sobre o Ceará é muito bom, mas nada se compara a paixão que temos por Jericoacoara, ou Jeri para os íntimos. Nesta sexta vez que visito esse pedaço do paraíso compartilharei com vocês um pouco desta deliciosa experiência.
Mas não é tão trivial assim chegar ao paraíso, pois o mesmo fica a 6 horas de Fortaleza(CE). Pegamos o ônibus da empresa Fretcar(única que faz esse percurso) às 9h00am na av Beira Mar, em frente ao hotel Praiano e seguimos viagem – este horário é recomendável para quem quer pegar o belo pôr do sol logo no primeiro dia de chegada. Chegando em Jijoca(após 5 horas), pegamos uma jardineira(já inclusa no pacote) com destino final a praia de Jericoacoara.

Assim que chegamos e terminamos de nos acomodar em nossa pousada, almoçamos um tradicional prato de carne seca, com baião de dois, a tempo de ao final, subir na famosa Duna do Pôr do Sol, e apreciar esse verdadeiro espetáculo da natureza e ao final só nos restou aplaudir tamanho esplendor!

Assistimos logo após o tradicional jogo de capoeira, e claro, fizemos uma boa caminhada pelo vilarejo, lojinhas, artesanato, etc. Também apreciamos o belo céu estrelado, pois como não existem postes de iluminação(a fiação é subterrânea), Jeri possui um céu estrelado sem igual, inclusive é possível ver estrelas cadentes na madrugada com uma certa paciência(garantido ver uma em menos de 10 minutos). Também apreciamos algumas bebidas interessantes, como a inigualável Xoxota®, recomendo!

Depois voltamos a pousada e a dica é a seguinte: dormir um pouco e acordar de madrugada(logicamente foi o que fizemos, sem a presença de nossos pais), pois em Jeri o agito não para, e o mesmo começa na madrugada e termina com o último cliente ou até a chegada dos primeiros raios de sol! É preciso se informar, pois cada dia(em geral) tem um lugar próprio para a festa(exceto sábado que várias festas rolam em paralelo). Nesta viagem não ficamos até o dia amanhecer, para aproveitar mais o dia e apresentar a nossos pais tudo o que Jeri tinha a oferecer.

DSC07698 DSC07731 DSC07738 DSC07750
DSC07754 DSC07773 PA122851 DSC07788
DSC07799 DSC07800 DSC07832 DSC07835
DSC07824 DSC07830 DSC07854 DSC07853

13 de Outubro de 2012 – Sábado
Na parte da manhã, após um café da manhã reforçado na Pousada do Véio, enquanto a Débora caminhava com nossos pais pelo vilarejo, me programei para ter aulas de kite-surf, alias é uma excelente dica a quem quer aprender o esporte. O preço do curso completo(3 dias com 3 horas de aula/dia) fica entre 800/900 reais. O curso no Rio de Janeiro por exemplo não sai por menos de 2100 reais e para quem só tem o final de semana disponível é jogar o dinheiro fora, pois precisa da conciliação dos fatores a seguir: praia não pode estar cheia, ou seja, só rola no final da tarde se der sorte; tem que estar ventando neste momento na direção e intensidade corretas; As ondas não podem estar muito fortes; o professor tem que estar disponível. Compartilhando a minha experiência, em 6 meses consegui fazer 5 aulas no Rio(sem entrar na água) e desisti(pense num stress, você vai na praia, espera as pessoas saírem, torce para que o vento persista e que não tenha outros alunos para dividir o tempo contigo). Em Jeri sempre venta, as ondas sempre estão boas, sempre terá uma praia deserta para treinar, e os professores são muito comprometidos(dependem disso, você não corre o risco de pegar um playboyzinho cheio de marra da barra), e nos 2 dias disponíveis para isso, já entrei na água logo no primeiro e subi no kite no segundo. Voltarei a praticar numa próxima oportunidade lá, pois o preço de passagem/hospedagem/curso sai bem mais em conta em Jeri!
Após o curso, fomos todos a lagoa do paraíso. Não poderia ter um nome mais propício, muito relaxante, realmente um paraíso! a água deste lugar vem da chuva, é muito limpa e cristalina, tem um único restaurante – lembre-se, está no nordeste, então relaxe, aprecie o local e espere para ser atendido, no final o prato valerá a espera. A rede que encosta na água é muito convidativa, relaxa e refresca ao mesmo tempo, uma delicia! Nos programamos para voltar a tempo de pegar novamente o pôr do sol na duna – a dica é combinar antes com o motorista, após isso demos mais uma volta no vilarejo e voltamos para a pousada para descansar e aproveitar o forró que inicia sábado sempre a meia-noite, esse ninguém poderia ficar de fora e toca mexer o esqueleto!

DSC07868 DSC07870 DSC07877 DSC07881
DSC07899 DSC07907 DSC07905 DSC07914
DSC07915 DSC07916 DSC07928 DSC07978
DSC07979 DSC07980 PA142885 DSC07985

14 de Outubro de 2012 – Domingo
Mais uma aula de kite na Merinho Kitesurf School, e após a mesma, nos dirigimos de buggy a Lagoa Azul, novamente desfrutando de uma bela paisagem até chegarmos na mesma. Essa lagoa – que também é formada pela água da chuva – é ainda melhor em minha opinião, tem 2 restaurantes e para chegar nos mesmos precisamos pegar uma jangada, a qual é mais uma atração a parte. “Almojantamos” por lá curtindo o local o que nos fez demorar mais, e desta vez curtimos o pôr do sol pela estrada mesmo na volta, numa bela visão a partir do buggy, entre dunas, coqueiros, pequenas lagoas, etc. Em nossa última noite, fizemos mais uma última caminhada no centrinho, compramos as últimas lembranças, fizemos um pit-stop para saborear uma deliciosa sopa, e fizemos uma parada para uma foto de despedida da pousada, manhã seguinte.

DSC08009 DSC08099 DSC08012 DSC08013
DSC08017 DSC08043 DSC08021 PA142899
DSC08028 DSC08036 DSC08039 DSC08072
DSC08098 DSC08097 DSC08095 DSC08094

Conclusão
Jericoacoara além de ser esse pedaço de paraíso o qual mostramos uma pequena parte – o mesmo tem muito mais atrações a serem exibidas – também impressiona pela sensação de segurança. Não tem assaltos pois como o vilarejo depende quase que exclusivamente do turismo, roubos não são tolerados por quem mora lá. Em outras visitas, fizemos passeios de quadriciclo – em nossa opinião, um dos melhores passeios do lugar – conhecendo assim os arredores de ponta a ponta, realmente inesquecível!
O único senão é que – ao visitar Jeri – é difícil não querer se estabelecer por lá, é como se uma pedaço de nós passasse a fazer parte do lugar. Ao partir de Jeri, não tem como dizer adeus, e sim até a próxima, com certeza!

Be Sociable, Share!

Leave a Reply